Início Bahia Policial militar suspeito de matar indígenas no extremo sul da BA permanece...

Policial militar suspeito de matar indígenas no extremo sul da BA permanece calado em interrogatório

0
Foto: Redes sociais
Publicidade
Google search engine

O suspeito de matar os indígenas Nawir Brito de Jesus, 16 anos, e Samuel Cristiano do Amor Divino, de 21, foi interrogado pela polícia na noite desta segunda-feira (30), mas fez o uso do direito de permanecer calado. A informação foi divulgada pelo delegado Moisés Damasceno, coordenador da 23ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Eunápolis).

O policial militar, identificado como Laércio Maia Santos, de 31 anos, se apresentou à polícia, na manhã desta segunda, em Teixeira de Freitas, no extremo sul da Bahia. Ele prestava serviço de segurança privada na região no dia do crime.

De acordo com Moisés Damasceno, o policial será encaminhado para o Batalhão de Choque da Polícia Militar, de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, ainda na noite desta segunda.

Crime

O crime ocorreu em 17 de janeiro, na cidade de Itabela, a cerca de 136 quilômetros do local onde o suspeito se apresentou.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), o militar, que estava com a prisão decretada, se apresentou à polícia acompanhado de dois advogados. Ele estava sendo procurado por equipes da Força Integrada (FI) de Combate a Crimes Comuns envolvendo Povos e Comunidades Tradicionais.

No último sábado (28), a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) informou que o suspeito havia sido identificado pela polícia.

Durante buscas, os policiais apreenderam armas, celulares, rádios comunicadores, entre outros dispositivos eletrônicos, encontrados em um imóvel utilizado pelo suspeito na zona rural de Porto Seguro, cidade localizada na mesma região.

Fonte G1 Bahia

Artigo anteriorMototaxista é esfaqueado na BA após discussão por preço de corrida
Próximo artigoHomem é baleado após troca de tiros com a polícia no bairro de Arenoso, em Salvador

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui