Início Feira de Santana Caixas de som espalhadas pelo comércio de Feira despertam a atenção do...

Caixas de som espalhadas pelo comércio de Feira despertam a atenção do público às compras

0
Foto: Valdenir Lima
Publicidade
Google search engine

Em meio a movimentação do comércio nesta e em outras épocas do ano, que intencionalmente coincidem com períodos festivos, é possível ouvir anúncios de serviços, divulgação de produtos e melhores ofertas que saem de caixas de som instaladas em pontos estratégicos nas ruas centrais da cidade.

O serviço de sonorização no comércio de Feira de Santana funciona há mais de 40 anos. É uma demonstração de que mesmo em tempos de valorização das mídias contemporâneas consegue manter viva uma tradição.

São cerca de 120 caixas distribuídas em postes instalados nas avenidas Senhor dos Passos e Getúlio Vargas, ruas Marechal Deodoro e Sales Barbosa, Praça D. Pedro II [mais conhecida como Praça do Nordestino], que transmitem ainda mensagens educativas e de felicitações, além de músicas da época.

“Esse serviço é uma forma de contribuir para atrair as pessoas às lojas e aquecer as vendas. Temos um comércio onde você encontra de tudo, sem precisar sair de Feira”, afirma o radialista Gildarte Ramos, um dos responsáveis pelo trabalho.

Para manter a programação no ar, Gildarte atua ao lado de Nilton Santos, seu colaborador. Somente do seu serviço de sonorização são 30 caixas espalhadas pelo comércio, mas já chegou a ter muito mais [ele possui 300 destes equipamentos]. “Cobramos dos anunciantes uma pequena taxa”, diz. A programação começa às 8h30 e segue até as 18h.

Segundo ele, o sistema de sonorização é um instrumento geralmente utilizado por comerciantes que não têm muitas possibilidades para colocar anúncio publicitário em televisão, rádio e jornais.

“Algumas pessoas no comércio não sabem onde comprar determinado produto. Então indicamos lojas, ofertas e serviços. Este é um recurso ainda utilizado em grandes capitais, como Salvador, Aracaju, João Pessoa, Fortaleza e Petrópolis. O nosso trabalho acaba se transformando numa espécie de rádio popular”, diz Gildarte.

Em alguns pontos do comércio de Feira esse serviço é permanente, a exemplo da Praça do Nordestino, feirinhas da Cidade Nova e do Tomba, Centro de Abastecimento e Feiraguay. Nestes locais, os responsáveis são outros profissionais.

Artigo anteriorEspetáculo de música e luzes abre as portas do Natal de Feira
Próximo artigoGuarda Municipal deflagra operação Centro Seguro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui