Início Bahia Bahia discute desafios ambientais em seminário sobre mudanças climáticas e segurança hídrica

Bahia discute desafios ambientais em seminário sobre mudanças climáticas e segurança hídrica

0
A equipe da Sema e Inema também contribuiu para a discussão, compartilhando informações e dados relevantes sobre as mudanças climáticas e segurança hídrica. A apresentação trouxe informações essenciais sobre os desafios e soluções relacionados à questão da água no estado, contribuindo para uma melhor compreensão dos desafios ambientais enfrentados pela região. A especialista do Inema, Rosane Aquino, apresentou dados sobre as vazões dos rios da Bahia e o comportamento nos últimos trinta anos, associados às mudanças climáticas. Especialista em meio ambiente e recursos hídricos da Sema, Larissa Cayres destacou em sua fala que estamos enfrentando mudanças climáticas globais, associadas às ações antrópicas, que têm causado aumento das temperaturas, evapotranspiração, chuvas mais intensas e ilhas de calor nas cidades. “Precisamos nos preparar para as mudanças climáticas, pois os cientistas indicam que elas continuarão acontecendo. Não é um discurso alarmante, o planeta está esquentando e precisamos nos adaptar a essa nova realidade para mitigar seus impactos para as próximas gerações”, finaliza. Fonte: Ascom/Inema
Publicidade
Google search engine

Para promover a troca de informações sobre as ações do Governo da Bahia para mitigar e adaptar-se às mudanças climáticas, aconteceu, nesta terça-feira (19), um seminário sobre mudanças climáticas e segurança hídrica, no auditório da Embasa, em Salvador. O evento, que contou com o apoio da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), reuniu especialistas de diversos órgãos e secretarias estaduais. Foram apresentados os impactos negativos dessas mudanças na região Nordeste, como a redução das vazões de água nos rios e da precipitação de chuvas.

A superintendente de Inovação e Desenvolvimento Ambiental da Sema, Vânia Almeida, destacou a importância de uma abordagem integrada sobre o tema. Ela ressaltou que o aumento da temperatura não afeta apenas a biodiversidade e as florestas, mas, principalmente, os recursos hídricos, exigindo uma gestão que vá além do uso da água, incluindo sua conservação e produção.

“É crucial avançar para uma gestão compartilhada com todos os órgãos e a sociedade civil, a fim de garantir uma distribuição social justa desse recurso”, destacou Vânia, que representou o secretário do Meio Ambiente, Eduardo Sodré Martins.

Durante o seminário, a diretora-geral do Inema, Maria Amélia Lins, alertou que as mudanças climáticas e a segurança hídrica são desafios urgentes que exigem ação imediata. Ela enfatizou a importância de medidas concretas para assegurar o acesso à água e proteger os ecossistemas.

“Estamos tendo a oportunidade de participar de uma discussão importante, o que traz consigo responsabilidades e desafios, especialmente no envolvimento de todos os atores, como os comitês de bacia e os usuários, e a necessidade de diálogo para que as ações dos gestores públicos sejam eficazes”, lembrou Maria.

Um dos pontos altos do evento foi a participação do renomado cientista Carlos Nobre, membro do IPCC, que alertou para a gravidade da situação. Ele sinalizou que estamos enfrentando o maior desafio da humanidade e que é preciso evitar um colapso climático que pode afetar bilhões de pessoas e a biodiversidade do Planeta Terra. Nobre é especialista em previsão do tempo, clima e sustentabilidade global, reconhecido pela extensa pesquisa sobre os impactos do clima provenientes do desmatamento da Amazônia.

A equipe da Sema e Inema também contribuiu para a discussão, compartilhando informações e dados relevantes sobre as mudanças climáticas e segurança hídrica. A apresentação trouxe informações essenciais sobre os desafios e soluções relacionados à questão da água no estado, contribuindo para uma melhor compreensão dos desafios ambientais enfrentados pela região. A especialista do Inema, Rosane Aquino, apresentou dados sobre as vazões dos rios da Bahia e o comportamento nos últimos trinta anos, associados às mudanças climáticas.

Especialista em meio ambiente e recursos hídricos da Sema, Larissa Cayres destacou em sua fala que estamos enfrentando mudanças climáticas globais, associadas às ações antrópicas, que têm causado aumento das temperaturas, evapotranspiração, chuvas mais intensas e ilhas de calor nas cidades. “Precisamos nos preparar para as mudanças climáticas, pois os cientistas indicam que elas continuarão acontecendo. Não é um discurso alarmante, o planeta está esquentando e precisamos nos adaptar a essa nova realidade para mitigar seus impactos para as próximas gerações”, finaliza.

Fonte: Ascom/Inema

Artigo anteriorEm duas semanas, exposição do MGB no Salvador Shopping atinge mais de 22 mil visitantes
Próximo artigoHomem tem mandado cumprido por tentativa de feminicídio em Teixeira de Freitas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui